top of page

Em menos de dois anos, Ambulatório Especializado em Saúde da Mulher realiza mais de 220 cirurgias

O Ambulatório Especializado em Saúde da Mulher de São Sebastião, vinculado

à Secretaria de Saúde (SESAU) e localizado dentro do Hospital de Clínicas de

São Sebastião (HCSS), já realizou 224 cirurgias de patologias benignas e

cerca de 60 atendimentos clínicos.


‌Entre as cirurgias realizadas, estão histerectomia (remoção do útero por incisão

abdominal e por via vaginal), miomectomia (remoção de miomas uterinos,

possibilitando à paciente engravidar) e retirada de ovários, cistos de ovários e

trompas. São realizados, em média, quatro procedimentos cirúrgicos por

semana. As mulheres que têm o ovário retirado passam, também, por

tratamento hormonal.


‌As pacientes são encaminhadas pela Central de Regulação da SESAU. Caso

não fossem feitas aqui, as cirurgias seriam realizadas nas referências

regionais. O Ambulatório Especializado em Saúde da Mulher reduz e previne

uma fila de espera nessa especialidade e agiliza a realização dos

procedimentos para as mulheres.


‌Às terças-feiras, cerca de 10 a 12 mulheres passam por avaliação e, quando

constatada a necessidade de cirurgia, são direcionadas para realizar os

exames pré-operatórios. Estando aptas, os procedimentos são agendados.

Quando a indicação é de tratamento clínico, já saem com a receita em mãos.


‌As cirurgias são realizadas por uma equipe médica composta por três

profissionais, coordenados pelo médico ginecologista e cirurgião, Dr. Edson

Cardin Nogueira. Ele conta que os procedimentos foram viabilizados por meio

de um projeto apresentado por ele ao prefeito Felipe Augusto e ao vice-prefeito

e secretário de Saúde Reinaldo Moreira, que aprovaram a realização dos

atendimentos.


‌“O resultado tem sido fantástico, não tivemos problema em nenhuma cirurgia e

conseguimos amenizar o desconforto dessas mulheres, que mensalmente

sofrem com sangramentos intensos, antecipando a realização das cirurgias e

devolvendo a qualidade de vida a elas”, explica o Dr. Edson.


‌Ele conta que futuramente serão ampliados a quantidade e os tipos de

cirurgias, englobando, entre outras, as de colpoperineoplastia anterior e/ou

posterior e cirurgia de levantamento de bexiga (sling). “Algumas mulheres,

devido ao parto ou a problemas hormonais, não podem fazer nenhum tipo de

esforço que acabam liberando urina. Isso traz um grande desconforto, pois

chegam a ter que utilizar fraldas, e ficam com receio de se hidratar ou sair de

casa, a fim de evitar situações constrangedoras”, conta.


‌Outras cirurgias que serão implementadas são de laqueadura vaginal ou

abdominal, exerese de cisto vaginal ou de nódulo de mama e endometrioma de

parede.

4 visualizações0 comentário

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page