top of page

Gerência de Apoio do LN alinha ações da segunda fase do enfrentamento à calamidade

O coronel do Exército, André Marcelo Warol Porto Rodrigues, comandou no

início desta semana uma reunião da Gerência de Apoio do Litoral Norte, criada

pelo governador Tarcísio de Freitas com objetivo de coordenar ações de auxílio

às vítimas e reconstrução do município.



Esse encontro, com as autoridades, órgãos, agências das esferas federal,

estadual e municipal, serviu para alinhar estratégias e ações desta segunda

fase dos trabalhos. A nova gerência é responsável por analisar os impactos

das pessoas afetadas, gerenciar a relação com órgãos públicos e monitorar as

ações relativas ao Plano de Reconstrução.


O coronel, que assumiu o comando do Gabinete de Gerenciamento de Crise do

município, explicou que os integrantes se reunirão diariamente, às 17h, para

fazer uma avaliação dos trabalhos realizados durante o dia, bem como planejar

as ações do dia seguinte, nesta segunda fase de recuperação.


Na segunda-feira (13), chegou à cidade uma equipe de engenheiros e

geólogos do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) de São

Paulo para fortalecer as ações da Defesa Civil e demais órgãos e forças de

segurança nas demandas provocadas pela calamidade. A definição da

estratégia de atuação será definida com o comando da Gerência de Apoio do

Litoral Norte. A atuação dos técnicos do CREA ocorrerá por meio de convênio

firmado com os governos municipal e estadual.


A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) do Estado

de São Paulo, junto com os demais órgãos estaduais e municipais, prossegue

os trabalhos de cadastramento e abrigamento das famílias vítimas das chuvas.


Uma equipe acompanha a instalação das primeiras famílias da Vila Sahy em

Bertioga, em condomínio disponibilizado pelo Governo do Estado. Enquanto

isso, outras equipes da CDHU continuam o trabalho junto às famílias que serão

inseridas no Programa Habitacional.


O governo do Estado já recebeu a indicação de 10 áreas pela prefeitura para

construção de moradias, sendo 10 delas do município (duas nos bairros

Topolândia; três em Maresias; duas em Barequeçaba e três particulares – uma

na Vila Sahy e duas na Baleia Verde –, que o governo estadual já iniciou as

desapropriações.


De acordo com o coronel André Porto, já foram realizadas reuniões com a

CDHU, que vai definir os critérios para entrega das moradias populares que

serão construídas, estimadas em torno de 900 pelo Estado.

1 visualização0 comentário

Kommentit


Post: Blog2_Post
bottom of page