top of page

Investimento no Transporte Público em Ilhabela aumenta ofertas de linhas em 20%

A população de Ilhabela passou a contar com mais horários de ônibus desde

março, com a chegada de 15 veículos zero km para compor a frota do

transporte coletivo da cidade. O reforço garantiu ampliação de 20% na oferta

de horários. Bairros como o Camarão, na região baixa da Barra Velha, que

antes contava com cinco horários em dias úteis, passou a ter 11. O número de

partidas aos fins de semana também aumentou, de duas para 10.



O custo total da tarifa é subsidiado pela administração pública como forma de

onerar o mínimo possível o valor pago pelos usuários ao passar pela catraca

dos coletivos. Quem utiliza bilhete eletrônico paga R$ 2,10 e quem não possui

o cartão paga R$ 5. A Prefeitura subsidia o saldo do valor “cheio” que é de R$

9,20.


O preço foi atualizado em março, conforme contrato vigente que prevê a

revisão anual. Para chegar ao valor cheio é importante destacar que a

Prefeitura autoriza o reajuste com base em uma série de fatores, mas o

principal é onerar o mínimo possível o preço pago pelo usuário do serviço.


Composição da Tarifa


O custo da tarifa do transporte público é calculado com base em vários fatores.

Entre eles estão o INPC – Índice Nacional de Preços ao Consumidor, o IPCA –

Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, Fundação Getúlio Vargas e a

variação do custo de vida médio de famílias com renda mensal de um a quatro

salários mínimos. Além disso, ainda é preciso levar em conta a convenção

coletiva de trabalho dos funcionários da empresa concessionária do transporte

coletivo, manutenção dos veículos, combustível e quilômetros rodados.


Assim, o valor da tarifa é definido com base nos índices já citados e nos

cálculos resultantes da soma dos chamados custos variáveis, referentes a

combustível, lubrificantes, pneus, peças e acessórios e os custos fixos que

abrangem despesas mensais com pessoal, despesas administrativas,

depreciação e remuneração do capital. Tudo é dividido pelo número de

usuários e quilômetros rodados.


Soma-se a esse valor também o cálculo das passagens de benefícios sociais,

“gratuitas” ou com “desconto”, como é o caso de idosos acima de 60 anos,

pessoas com deficiência, gestantes (16 créditos mensais para as consultas

pré-natal) e dos estudantes que pagam 50%.


Subsídio


O subsídio é a ferramenta utilizada pela Prefeitura para evitar que a população

pague “à vista” o valor cheio da tarifa. O valor proveniente da arrecadação de

impostos e também uma parcela dos royalties do petróleo é utilizado para

saldar a diferença da tarifa e minimizar o impacto do reajuste contratual para a

população.


Outro ponto positivo é que o investimento no transporte público não beneficia

apenas o passageiro, mas a sociedade, já que com valores acessíveis, mais

pessoas podem se utilizar do serviço, diminuindo o número de veículos nas

ruas e consequentemente os congestionamentos, acidentes e trânsito e

emissão de gases poluentes.


Os investimentos também permitem à concessionária do transporte coletivo

oferecer renovação constante da frota e equipamentos que confiram conforto e

qualidade às viagens, como ar condicionado, conexão com internet (wi-fi),

tomadas USB e adaptação para pessoas com deficiência. O aumento da

quantidade de veículos também é outra vantagem, pois possibilita a ampliação

de oferta no número de linhas.


Malha Viária


A geografia de Ilhabela não favorece o tráfego de veículos de grande porte, em

especial os carros com suspensão a ar, que são mais confortáveis para o

usuário e, em contrapartida, suscetíveis à frequente manutenção. Para

minimizar essa situação a Prefeitura vem investindo na repavimentação das

vias principais da cidade. São R$ 27 milhões de reais em aproximadamente 60

vias que estão recebendo melhorias no pavimento, guias e sarjetas.

1 visualização0 comentário

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page