top of page

Leitos de retaguarda no HR e Stella Maris estão com ocupação máxima

 




O aumento de demanda em busca de atendimentos nas três Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Caraguatatuba tem surtido reflexo nas internações nos hospitais de retaguarda do município.

 

Somente nas UPAs, houve um crescimento de mais de 30% no número de atendimentos nas últimas semanas. O pico registrado pela UPA Centro na última semana chegou a mais de 1,8 mil atendimentos em apenas um dia. Além disso, a cidade tem registrado pacientes de outras cidades do Litoral Norte e até do Vale do Paraíba a procura de atendimento.

 

Esse crescimento se deve ao aumento de casos suspeitos de dengue, Covid-19 e gripe. Com isso, os pacientes procuram por atendimento com sintomas de algumas das patologias, o que tem gerado uma demanda acima do normal nas unidades hospitalares.

 

No Hospital Regional do Litoral Norte, em Caraguatatuba, a taxa de ocupação dos leitos já chega a 100%, seja nas vagas de UTI (30 leitos), Clínica Médica (73 leitos), Clínica Cirúrgica (63) e Observação Emergência (16).

 

Já no Setor de Emergência (6 leitos), a taxa de ocupação é de 120%, ou seja, acima do previsto. Até ontem (25/3), de todas as internações, 20 casos são de pacientes diagnosticados com dengue.

 

Além disso, segundo a direção do HR, somente neste mês de março foram encaminhados 40 pacientes de vaga zero (recurso essencial para garantir acesso imediato aos pacientes com risco de morte ou sofrimento intenso, devendo ser considerada como situação de exceção e não uma prática cotidiana de atenção às urgências) de clínicas médicas.

 

Além das cidades do Litoral Norte, o Hospital Regional de Caraguatatuba tem recebido pacientes do Vale do Paraíba, Serra da Mantiqueira e Vale Histórico, superlotando ainda mais os leitos.

 

A DR-17 (Diretoria Regional de Saúde), que atende os municípios da região é a que tem o maior número de casos de dengue do Estado de São Paulo e, muitos deles, estão sendo transferidos ao Litoral Norte.

 

Situação semelhante ocorre com os leitos de UTI e Enfermaria da Casa de Saúde Stella Maris, principal unidade de retaguarda do município. A taxa de Enfermaria está com 103% de ocupação, ou seja, acima da capacidade. E a UTI atingiu também 100% de ocupação.

 

O secretário de Saúde de Caraguatatuba, Gustavo Boher, explica que a sobrecarga nas UPAs é refletida pela impossibilidade de transferência de pacientes em função da superlotação das unidades de retaguarda, que atendem pacientes de média e alta complexidade.

 

“Estamos com picos de atendimento acima do normal e isso afeta todas as unidades de retaguarda. Além dos pacientes da cidade, temos recebido pacientes de outros municípios. O pico da dengue vai até abril e muita gente tem procurado nossas unidades com sintomas. Estamos com muitos pacientes em nossas UPAs porque não temos vagas em leitos no Stella Maris e no HR”, explica.

10 visualizações0 comentário

Komentarze


Post: Blog2_Post
bottom of page