top of page

Toninho Colucci é destaque nacional na gestão pública dos royalties

Ilhabela se destaca em estudo que compara gestão pública de municípios que recebem royalties de petróleo e gás



A gestão do Prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci, conquistou destaque nacional ao obter a melhor avaliação em estudo, lançado pela Agenda Pública, que compara a gestão pública de municípios que recebem royalties de petróleo e gás.


A cidade de Ilhabela conta com uma nota de 7,02 quanto aos serviços públicos prestados por ela aos munícipes a partir dos royalties da extração de petróleo, ficando em primeiro lugar entre os municípios com até 100 mil habitantes. É o que foi calculado pela primeira edição da pesquisa “Petróleo e Condições de Vida: qualidade da governança pública em municípios com atividades de Petróleo e Gás”, lançada pela Agenda Pública.


“Muito feliz e orgulhoso em saber que nosso governo é reconhecido nacionalmente como tendo a melhor aplicação dos royalties. São diversos investimentos realizados que ajudam a melhorar a vida das pessoas. Aqui, a gestão dos recursos é feita com responsabilidade e retorna em benefício ao cidadão”, destacou o Prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci.


A Ong Agenda Pública, que realizou o estudo, utilizou dados disponíveis em plataformas oficiais dos 20 municípios brasileiros que mais receberam rendas, seja de royalties ou participações especiais das atividades de petróleo e do gás natural, entre 2022 e o primeiro semestre de 2023.

A cidade de Ilhabela recebeu as seguintes notas nas diversas áreas de gestão pública: 9,29 (educação), 7,13 (saúde), 6 (proteção social), 3 (mobilidade), 8 (desenvolvimento econômico) e 8,73 (gestão de qualidade).


“Com a boa gestão dos recursos recebidos, o munícipe sente esse reflexo no seu dia a dia, com a melhoria da educação pública, diversos programas de saúde, na melhoria da balneabilidade com os investimentos no saneamento básico e um turismo forte, que aquece a economia local. Vale destacar também os investimentos na construção de novas unidades de saúde, o novo Hospital Mário Covas Jr, mais escolas nos bairros, bolsa de estudos para nossos estudantes universitário, pavimentações nos bairros, repasse ao terceiro setor, como por exemplo a Santa Casa e APAE, atividade delegada aos policiais, e ainda assim, guardamos 25% do valor arrecadado para o Fundo Soberano de Royalties”, finaliza Colucci.


Sobre a Agenda Pública


A Ong Agenda Pública aparece na 25° posição do ranking de organizações não-governamentais mais relevantes no Brasil, de acordo com a entidade suíça TheDotGood, responsável por classificar as principais organizações sociais em âmbito internacional.

3 visualizações0 comentário

Comentários


Post: Blog2_Post
bottom of page