top of page

Vacina Spikevax contra nova variante da Covid-19 já está sendo aplicada em Ubatuba




A vacinação contra a Covid-19 com a Spikevax, vacina produzida pela farmacêutica norte-americana Moderna, iniciou em Ubatuba na última sexta-feira (24). A imunização, voltada especialmente para crianças a partir de 6 meses e adultos dos grupos de risco, está disponível em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município.


Este novo imunizante, atualizado para proteger contra a subvariante Ômicron XBB 1.5, substituirá gradualmente as vacinas contra Covid-19 anteriormente utilizadas. Além disso, a Spikevax pode ser administrada simultaneamente com outras vacinas, exceto a da dengue, facilitando a atualização de diversos esquemas vacinais.


A vacinação será administrada para crianças de até 4 anos, conforme calendário de rotina, e para grupos prioritários como dose de reforço. Esses grupos incluem pessoas com 60 anos ou mais, moradores de instituições de longa permanência, imunocomprometidos, gestantes e puérperas, profissionais da saúde, pessoas com deficiência permanente, comorbidades, privados de liberdade, adolescentes em medidas socioeducativas, funcionários do sistema prisional, ribeirinhos, quilombolas e indígenas.


Todas as pessoas pertencentes aos grupos prioritários devem tomar uma dose anual da Spikevax, independentemente do número de doses já tomadas contra a Covid-19. Para se vacinar é necessário apresentar um documento com foto e a caderneta de vacinação. Os grupos prioritários precisam ainda apresentar laudos médicos ou comprovantes das comorbidades ou atividades profissionais.

 

Vacinação contra Poliomielite

Na segunda-feira, 27 de maio, teve início a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, que se estenderá até o dia 14 de junho em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Ubatuba. O “Dia D” de intensificação da vacinação ocorrerá no sábado, 8 de junho, com ações de mobilização pela cidade.


A imunização tem como objetivo reduzir o risco de reintrodução do poliovírus no Brasil e aumentar a cobertura vacinal entre crianças de 0 a menores de 5 anos. O Ministério da Saúde estabeleceu a meta de vacinar, no mínimo, 95% das crianças dessa faixa etária em todo o país.


O Brasil é considerado livre da circulação do poliovírus selvagem, responsável pela transmissão da doença, contudo, há uma classificação de alto risco para a reintrodução do vírus pela Comissão Regional para a Certificação da Erradicação da Poliomielite na Região das Américas, fato que destaca a necessidade da atual campanha.


Durante a ação, serão administradas a vacina oral (gotinha) e a vacina inativada (injetável). De acordo com a Secretaria de saúde, esta será a última campanha do país a utilizar o imunizante oral, pois com as novas diretrizes do Programa Nacional de Imunizações (PNI), a vacinação da Poliomielite passará a ser ofertada, gradualmente, apenas na versão injetável, conforme o fim das doses.

4 visualizações0 comentário

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page