top of page

Prefeitura de Ilhabela investe nas Comunidades Tradicionais com foco na qualidade de vida dos caiçaras




As comunidades costeiras, conhecidas como “caiçaras”, são consideradas patrimônio cultural brasileiro e desempenham um importante papel na preservação de costumes e tradições. Diante disso, todo dia 15 de março é celebrado o Dia do Caiçara.


Em Ilhabela, os caiçaras são acolhidos pela Prefeitura de Ilhabela por meio de iniciativas e projetos, em especial pelas Secretarias Municipais de Desenvolvimento e Inclusão Social e a de Comunidades Tradicionais, Pesca e Agricultura.


Neste mês de março, o novo Mercado do Peixe no Perequê será inaugurado. Trata-se de um investimento significativo de R$ 2,4 milhões que visa não apenas valorizar os pescadores artesanais, mas também impulsionar a economia local e oferecer um novo atrativo no centro da cidade.


O Mercado do Peixe contará com boxes higiênicos destinados à venda dos pescadores artesanais, um quiosque/bar para o preparo dos pescados, área para degustação, sanitários e, no piso superior, locais para banho e vestiários, incluindo guarda-volumes para os moradores das Comunidades Tradicionais. O espaço permitirá que os visitantes escolham e comprem produtos frescos, levando para casa ou desfrutando das cozinhas no local para preparar pratos à beira-mar, celebrando a rica gastronomia caiçara.


Mas o comprometimento da Prefeitura de Ilhabela vai além do novo Mercado do Peixe. A criação da Secretaria das Comunidades Tradicionais, Pesca e Agricultura demonstra a atenção dedicada às 16 comunidades tradicionais.


Desde o início da atual gestão, já foram entregues 28 Casas Caiçaras, sendo 15 em Castelhanos, três na Praia Mansa, quatro na Ilha de Búzios, uma no Bonete, duas na Praia da Fome, duas no Saco do Sombrio e uma na Praia da Figueira. O projeto “Casa Caiçara” é voltado para as famílias caiçaras de baixa renda, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida, mental e saúde dos beneficiados.


Outra importante iniciativa é a parceria com a Associação de Maricultores do Estado de São Paulo (AMESP) para cursos de aquicultura. A Prefeitura investe no Centro de Apoio ao Pescador, realizando 70 docagens de embarcações pesqueiras e adquirindo equipamentos essenciais para melhorar as condições de trabalho.


Vale destacar também a atenção à saúde das comunidades tradicionais, com uma equipe multidisciplinar que inclui médico clínico geral, enfermeiro, técnico de enfermagem, assistente social, psicólogo, nutricionista e dentista. Além disso, a revitalização de trilhas, instalação de biodigestores e a entrega de quadriciclos para manutenção são parte das ações realizadas.


A Comunidade Tradicional do Bonete também recebeu melhorias na captação de água e uma nova quadra de esportes coberta. Em Castelhanos, a instalação de biodigestores e a monitorização da água são prioridades. A entrega de quadriciclos para manutenção nas Comunidades do Bonete e Castelhanos demonstra o compromisso com a mobilidade local.


Ainda na Comunidade Tradicional de Castelhanos, a Prefeitura de Ilhabela já está com o projeto pronto e aguarda somente a liberação por parte da CETESB, para dar início à obra da nova escola no local.


Outros destaques incluem a Virada Cultural e Esportiva, beneficiando diversas Comunidades Tradicionais, e a criação do Espaço Amigos do Mar “Seu Mazinho” na Barra Velha, que comercializa trabalhos artesanais e promove a conscientização ambiental.


A Casa do Caiçara “Hélio Reale” oferece serviços públicos essenciais para moradores das Comunidades Tradicionais, proporcionando alimentação, dormitórios, banheiro e uma equipe de atendimento especializado.


A construção de uma ponte na Comunidade Tradicional de Guanxumas é um marco para mais de 20 famílias, melhorando a locomoção em dias de chuva e facilitando o acesso à escola, quadra de esportes e igreja.


A moradora da comunidade, Katia Regina Guimarães, falou da importância da ponte para locomoção em dias de chuva. “Eu moro aqui há 22 anos e nunca tivemos uma ponte assim. Quando chovia ninguém passava, nem para ir ao médico ou as crianças para irem à escola. Nós agradecemos pela ponte e por poder ver nossos filhos passando por aqui para irem para a escola”, finalizou.


A Prefeitura de Ilhabela também realiza a operação de transporte de água à Ilha de Vitória, feita por meio de tonéis e mangueiras e que tem o objetivo de oferecer água potável à Comunidade Tradicional de Vitória devido à seca significativa na região. A cada quinze dias são cerca de 50 galões de 20 litros de água.


Finalizando, o “Bota-fora” destaca-se como uma ação crucial para a preservação do meio ambiente, retirando toneladas de sucatas e inservíveis das comunidades e contribuindo para a redução do impacto ambiental na região.


A Prefeitura de Ilhabela reafirma seu compromisso com a valorização das Comunidades Tradicionais, buscando promover uma qualidade de vida melhor para todos os caiçaras do arquipélago.

7 visualizações0 comentário

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page